sábado, 29 de outubro de 2011

31 de outubro - HALLOWEEN



Alguns significados simbólicosAbóbora: simboliza a fertilidade e a sabedoria.
Vela: indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.
Caldeirão: fazia parte da cultura – como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.
Vassoura: simboliza o poder feminino que pode efectuar a limpeza da electricida de negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.
Moedas: devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.
Bilhetes com os pedidos: devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois elevar-se-ão através da fumaça.
AnimaisAranha: simboliza o destino e o fio que tecem as suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.
Morcegos: simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.
Sapo: está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.
Gato preto: símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Universo
Cores:
Laranja: cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.
Preto: cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.
Roxo: cor da magia ritualística.
A Biblioteca escolar

24 de outubro - Dia Internacional das Bibliotecas Escolares















A Coordenadora da Biblioteca Municipal de Gouveia dinamizou uma oficina de escrita criativa para os alunos do 5º e 6ºanos.














Foram oferecidos marcadores de livros aos Docentes e Assistentes Operacionais e Técnicos.



























Vencedores do Concurso "A melhor roda dos alimentos"



Os vencedores do concurso foram:
1ºlugar - cartaz nº5 - alunos do 6ºF
2ºlugar - cartaz nº2 - alunos do 6ºG
3ºlugar - cartaz nº1 - alunos do 6ºG

Parabéns !

A equipa da biblioteca escolar

segunda-feira, 24 de outubro de 2011





Nos dias planificados para atividades relacionadas com a alimentação, 17 e 18 de outubro, a equipa da biblioteca contou histórias aos nossos pequenitos!
Para os mais velhos, os do 4º e 5º ano, a história escolhida foi “ O País da Cucanha” de Ilse Losa. Aos mais novos, os alunos da Pré, 1º, 2º e 3º anos, lemos “ A lagarta comilona".
Foram momentos muito agradáveis e todos os alunos participaram com grande entusiasmo.

A equipa da Biblioteca escolar


sábado, 15 de outubro de 2011

16 de outubro - Dia Mundial da Alimentação



A Equipa da Biblioteca da EB2,3 , em parceria com as docentes de Ciências da Natureza ,vai comemorar esta data , realizando várias atividades para os alunos do Pré- escolar, 1º e 2ºciclos.

"História da senhora roda dos alimentos"

Era uma vez uma senhora muito redondinha.
Esta senhora era muito redondinha e muito brincalhona. E sabem qual era a sua brincadeira preferida? Ela adorava brincar com todos os alimentos: com as cenouras, com a maçã, com a cebola, com o nabo, com a abóbora, com o morango, com a couve-flor, com a alface, com a água… com as cerejas, com o ananás, com o pepino, com o pão, com o leite, com o iogurte, com o queijo, com os ovos, com o azeite, com a manteiga.
Certo dia, andava a senhora muito redondinha na sua brincadeira quando decidiu fazer um jogo com todos os alimentos. Os alimentos gostaram muito da ideia, porque também adoravam brincar. Então, a senhora muito redondinha pediu a todos os alimentos que estivessem com muita atenção para explicar o jogo:
- Todos os alimentos do mesmo grupo ou família vão juntar-se para formar um grupo – explicou a senhora muito redondinha.
- Vamos jogar? – Perguntou a senhora roda.
- Sim – responderam todos os alimentos em coro.
De repente, gerou-se uma grande confusão, porque uns alimentos queriam ficar no mesmo grupo e outros não sabiam para onde haviam de ir…
A senhora roda voltou a explicar que só podiam ficar no mesmo grupo, os alimentos parecidos, por exemplo, a maçã, a pêra e outras frutas formavam um grupo…
As cenouras, as couves e outros legumes formavam outro grupo
A massa, o arroz, o pão, outro grupo…
O leite, o queijo, os iogurtes outro grupo
O feijão, o grão, as ervilhas formavam outro grupo…
Os ovos, a carne, o peixe juntos formavam outro grupo..
O azeite, a manteiga, o óleo outro grupo..
Depois desta explicação, os alimentos começaram a juntar-se em grupos…
Assim, a maçã, o morango, a pêra, o ananás e as cerejas juntaram-se e formaram o grupo das frutas…
A seguir, o tomate, a cenoura, o pimento, a couve-flor, a alface, a cebola, a abóbora, o nabo, o pepino juntaram-se e formaram o grupo dos legumes.
Depois, a massa, o arroz, as batatas e o pão formaram o grupo dos hidratos de carbono.
O feijão, o grão, as ervilhas formaram o grupo das leguminosas.
O leite, o queijo e o iogurte formaram o grupo dos lacticínios .
Os ovos, a carne e o peixe formaram outro grupo, o das proteínas .
O azeite, a manteiga e o óleo formaram o grupo das gorduras.
Mas sobrava um alimento…a água. A senhora roda explicou que a água era muito importante e ficava no meio de todos os outros grupos, porque todos os alimentos são constituídos por água.
Quando todos os alimentos estavam juntos em grupos, a senhora roda dos alimentos explicou que cada grupo era muito importante e que se devia comer um pouco de todos os grupos, comendo mais dos grupos maiores e menos dos grupos mais pequenos.
E assim se formou a roda dos alimentos que todos os meninos devem comer diariamente para crescerem saudáveis.

16 de outubro - Dia Mundial da Alimentação



Bom fim de semana

Bom fim de semana é o que desejamos.

Fazemos votos que possa fazer um pic-nic, neste outono magnífico e, claro, coloque no cestinho da merenda, o sabor de um bom livro.

A Equipa da Biblioteca escolar

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Vergilio Ferreira

Vergílio Ferreira nasceu em Melo, aldeia do concelho de Gouveia, na Beira Alta, no dia 28 de Janeiro de 1916, filho de António Augusto Ferreira e, de Josefa Ferreira que, em 1920, emigraram para os Estados Unidos da América, em busca de melhores condições de vida. Então, o pequeno Vergílio é deixado mais os irmãos, ao cuidado de tias maternas. Esta dolorosa separação é descrita em “Nítido Nulo”. A neve - que virá a ser um dos elementos fundamentais do seu imaginário romanesco é o pano de fundo da infância e adolescência passadas na zona da Serra da Estrela. Aos dez anos, após uma peregrinação a Lourdes, entra no seminário do Fundão, que frequentará durante seis anos. Esta vivência será o tema central de Manhã Submersa.
Em 1932, deixa o seminário e acaba o Curso Liceal no Liceu da Guarda. Entra para a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, continuando a dedicar-se à poesia, nunca publicada, salvo alguns versos lembrados em “Conta-Corrente” e, em 1939, escreve o seu primeiro romance, “O Caminho Fica Longe”. Licenciou-se em Filologia Clássica em 1940. Concluiu o Estágio no Liceu D.João III (1942), em Coimbra. Começa a leccionar em Faro. Publica o ensaio "Teria Camões lido Platão?" e, durante as férias, em Melo, escreve "Onde Tudo Foi Morrendo". Em 1944, passa a lecionar no Liceu de Bragança, publica "Onde Tudo Foi Morrendo" e escreve "Vagão "J"" que, publicou em 1946; no mesmo ano em que se casou, com Regina Kasprzykowsky, professora polaca que se encontrava refugiada em Portugal , com quem Vergílio ficaria até à sua morte. Após uma passagem pelo liceu de Évora (onde escreveu o mundialmente conhecido romance “Manhã Submersa”, corria o ano de 1953), fixa-se como docente em Lisboa, lecionando o resto da sua carreira no Liceu Camões.
Em 1980, o realizador Lauro António adapta para o cinema, o romance Manhã Submersa e, Vergílio Ferreira interpreta um dos principais papéis, o de Reitor do Seminário, contracenando assim com outros grandes vultos da cena portuguesa, tais como: Eunice Muñoz, Canto e Castro, Jacinto Ramos e Carlos Wallenstein.
Vergílio Ferreira morreu no dia 1 de Março de 1996, em sua casa, em Lisboa, na freguesia de Alvalade. O funeral foi realizado no cemitério de Melo, sua terra-natal e, a seu pedido, o caixão foi enterrado na ala do cemitério com vista para a Serra da Estrela.


Bibliografia
Até ao Fim
Alegria Breve
Aparição
Apelo da Noite
Até ao Fim
Cântico Final
Carta ao Futuro
Conta Corrente 1 1969-1976
Conta Corrente 2 1977-1979
Conta Corrente 3 1980-1981
Conta Corrente 4 1982-1983
Do Mundo Original
Manhã Submersa
Mudança (brochado)
Para Sempre
Signo Sinal
Em Nome da Terra
Estrela Polar
Pensar
Espaço do Invisível 3
Conta-Corrente 1 (Nova Série)
Conta-Corrente 2 (Nova Série)
Conta-Corrente 3 (Nova Série)
Invocação ao Meu Corpo
Conta-Corrente 4 (Nova Série)
Espaço do Invisível 4
Cartas a Sandra
Interrogação ao Destino, Malra
Espaço do Invisível 5
Escrever

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Pequenina de Antero de Quental


Eu bem sei que te chamam pequenina
E tenue como o véo solto na dança,
Que és no juizo apenas a criança,
Pouco mais, nos vestidos, que a menina...

Que és o regato de agua mansa e fina,
A folhinha do til que se balança,
O peito que em correndo logo cança,
A fronte que ao soffrer logo se inclina...

Mas, filha, lá nos montes onde andei,
Tanto me enchi de angustia e de receio
Ouvindo do infinito os fundos ecchos,

Que não quero imperar nem já ser rei
Senão tendo meus reinos em teu seio
E subditos, criança, em teus bonecos!

Acordo ortográfico (cont.)

Das sequências consonânticas

O Acordo Ortográfico prevê a supressão das consoantes mudas ou não articuladas. Nos casos em que há oscilação da pronúncia, aceitam-se as duas grafias.

1. O c e o p

a) Conservam-se nos casos em que são invariavelmente proferidos nas pronúncias cultas da língua: compacto, convicção, convicto, ficção, friccionar, pacto, pictural; adepto, apto, díptico, erupção, eucalipto, inepto, núpcias, rapto;

b) Eliminam-se nos casos em que são invariavelmente mudos nas pronúncias cultas da língua: ação, acionar, afetivo, aflição, aflito, ato, coleção, coletivo, direção, diretor, exato, objeção; adoção, adotar, batizar, Egito, ótimo;

c) Conservam-se ou eliminam-se facultativamente, quando se proferem numa pronúncia culta, quer geral quer restritamente, ou então quando oscilam entre a prolação e o emudecimento: aspecto e aspeto, cacto e cato, caracteres e carateres, dicção e dição; facto e fato, sector e setor; ceptro e cetro, concepção e conceção, corrupto e corruto, recepção e receção;

d) Quando, nas sequências interiores mpc, mpç e mpt se eliminar o p de acordo com o determinado nos parágrafos precedentes, o m passa a n, escrevendo-se, respetivamente, nc, nç e nt: assumpcionista e assuncionista; assumpção e assunção; assumptível e assuntível; peremptório e perentório, sumptuoso e suntuoso, sumptuosidade e suntuosidade.


2. Conservam-se ou eliminam-se, facultativamente, quando se proferem numa pronúncia culta, quer geral, quer restritamente, ou então quando oscilam entre a prolação e o emudecimento: o b da sequência bd, em súbdito; o b da sequência bt, em subtil e seus derivados; o g da sequência gd, em amígdala, amigdalácea, amigdalar, amigdalato, amigdalite, amigdaloide, amigdalopatia, amigdalotomia; o m da sequência mn, em amnistia, amnistiar, indemne, indemnidade, indemnizar, omnímodo, omnipotente, omnisciente, etc.; o t da sequência tm, em aritmética e aritmético.

ASSIM:
São suprimidas as consoantes mudas ou não articuladas em determinadas sequências consonânticas. Mantêm-se as consoantes que se pronunciam, ou seja, todas aquelas que são articuladas. Assim, há vocábulos com as mesmas sequências consonânticas cuja ortografia muda e outros cuja ortografia não muda.

MUDA
cc → c

accionar → acionar
coleccionar → colecionar
direccional → direcional
fraccionar → fracionar
leccionar →lecionar
seleccionar → selecionar


NÃO MUDAcc = cc

faccioso
ficcional
friccionar
etc


MUDA
cç → ç

acção → ação
colecção → coleção
direcção → direção
correcção → correção
injecção → injeção
selecção → seleção

NÃO MUDAcç = cç

convicção
ficção
sucção
etc


MUDA
ct → t

actual → atual
adjectivo → adjetivo
colectivo → coletivo
directo → direto
electricidade → eletricidade
objecto → objeto
projecto → projeto

NÃO MUDA ct = ct

bactéria
compacto
convicto
facto
intelectual
néctar
pacto
etc

MUDA
pc → c

decepcionar → dececionar
excepcional → excecional
recepcionista → rececionista

NÃO MUDApc = pc

capcioso
egípcio
núpcias
opcional
etc.


MUDA
pç → ç
acepção → aceção
adopção → adoção
decepção → deceção
excepção → exceção
intercepção → interceção
recepção → receção


NÃO MUDA
pç = pç

corrupção
erupção
interrupção
opção
etc.


MUDA
pt → t

adoptar → adotar
baptizar → batizar
contraceptivo → contracetivo
Egipto → Egito
óptimo → ótimo
susceptível → suscetível

NÃO MUDApt = pt

adepto
apto
eucalipto
inepto
rapto
etc.

Estabelece-se o uso facultativo de dupla grafia dos numerosos vocábulos em que se verifica oscilação de pronúncia, ou seja, nos casos em que a norma culta do português padrão produz, para o mesmo vocábulo, uma pronúncia em que a consoante é articulada e outra pronúncia sem registo dessa consoante.

cetro ou ceptro
dececionar ou decepcionar
infecioso ou infeccioso
inseticida ou insecticida
setor ou sector

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Poema - "Lisboa"

LISBOA


No bairro de Alfama os eléctricos amarelos cantavam nas
subidas.
Havia duas prisões. Uma delas era para os gatunos.
Eles acenavam através das grades.
Eles gritavam. Eles queriam ser fotografados!


"Mas aqui", dizia o revisor e ria baixinho, maliciosamente,
"aqui sentam-se os políticos". Eu vi a fachada, a fachada, a fachada
e em cima, a uma janela, um homem,
com um binóculo à frente dos olhos, espreitando
para além do mar.


A roupa pendia no azul. Os muros estavam quentes.
As moscas liam cartas microscópicas.
Seis anos mais tarde, perguntei a uma dama de Lisboa:
Isto é real, ou fui eu que sonhei?


Tomas Tranströmer

Prémio Nobel da Literatura 2011

O poeta sueco Tomas Tranströmer é o Prémio Nobel da Literatura de 2011.

domingo, 2 de outubro de 2011

Outubro - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares


Chegou o mês de Outubro.
Comemora-se o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares.
Este ano, o lema é : "Biblioteca Escolar.Saber. Um poder para a vida."
Fica atento ao programa das comemorações da tua Biblioteca.

                                           ATIVIDADES DE ESCRITA CRIATIVA  Em parceria com as docentes de português, a equipa da Bibli...