sábado, 17 de dezembro de 2011

Eça de Queirós


José Maria de Eça de Queirós nasceu em novembro de 1845, numa casa da Praça do Almada na Póvoa de Varzim, no centro da cidade; foi batizado na Igreja Matriz de Vila do Conde. Filho de José Maria Teixeira de Queirós, e de Carolina Augusta Pereira d'Eça. O pai de Eça de Queirós, magistrado e par do reino, convivia regularmente com Camilo Castelo Branco, quando este vinha à Póvoa para se divertir no Largo do Café Chinês.
Eça de Queirós foi batizado como «filho natural de José Maria d'Almeida de Teixeira de Queirós e de Mãe incógnita» [carece de fontes?], fórmula comum [carece de fontes?] que traduzia a solução usada em casos similares nos registos de batismo quando a mãe pertencia a estratos sociais elevados.
Uma das teses para tentar justificar o facto dos pais do escritor não se terem casado antes do nascimento deste sustenta que Carolina Augusta Pereira de Eça não teria obtido o necessário consentimento da parte de sua mãe, já viúva do coronel José Pereira de Eça. De fato, seis dias após a morte da avó que a isso se oporia, casaram-se os pais de Eça de Queirós, quando o menino tinha quase quatro anos.
Nessa altura, foi internado no Colégio da Lapa, no Porto, de onde saiu em 1861, com dezasseis anos, para a Universidade de Coimbra onde estudou direito. Além do escritor, os pais teriam mais seis filhos.
O pai era magistrado, formado em Direito por Coimbra e ainda escritor e poeta. Em Coimbra, Eça foi amigo de Antero de Quental. Os seus primeiros trabalhos, publicados a avulso na revista "Gazeta de Portugal", foram depois coligidos em livro, publicado postumamente com o título Prosas Bárbaras.
Em 1866, Eça de Queirós terminou a Licenciatura em Direito na Universidade de Coimbra e passou a viver em Lisboa, exercendo a advocacia e o jornalismo. Foi diretor do periódico O Distrito de Évora. Porém continuaria a colaborar esporadicamente em jornais e revistas ocasionalmente durante toda a vida. Mais tarde fundaria a Revista de Portugal
Em 1869 e 1870, Eça de Queirós fez uma viagem de seis semanas ao Oriente. Aproveitou as notas de viagem para alguns dos seus trabalhos, o mais notável dos quais O mistério da estrada de Sintra, em 1870, e A relíquia, publicado em 1887. Em 1870 ingressou na Administração Pública, sendo nomeado administrador do Concelho de Leiria. Foi enquanto permaneceu nesta cidade, que Eça de Queirós escreveu a sua primeira novela realista, O Crime do Padre Amaro, publicada em 1875.
Tendo ingressado na carreira diplomática, em 1873 foi nomeado cônsul de Portugal em Havana. Os anos mais produtivos de sua carreira literária foram passados em Inglaterra, entre 1874 e 1878, durante os quais exerceu o cargo em Newcastle e Bristol. Escreveu então alguns dos seus trabalhos mais importantes, como A Capital, escrito numa prosa hábil, plena de realismo. Manteve a sua actividade jornalística, publicando esporadicamente no Diário de Notícias, em Lisboa, a rubrica «Cartas de Inglaterra». Mais tarde, em 1888 seria nomeado cônsul em Paris.
O seu último livro foi A Ilustre Casa de Ramires, sobre um fidalgo do século XIX com problemas para se reconciliar com a grandeza da sua linhagem. É um romance imaginativo, entremeado com capítulos de uma aventura de vingança bárbara que se passa no século XII, escrita por Gonçalo Mendes Ramires, o protagonista. Trata-se de uma novela chamada A Torre de D. Ramires, em que antepassados de Gonçalo são retratados como torres de honra sanguínea, que contrastam com a lassidão moral e intelectual do rapaz.
Morreu em 16 de Agosto de 1900 na sua casa de Neuilly, perto de Paris. Teve funeral de Estado. Está sepultado em Santa Cruz do Douro.
Foi também o autor da Correspondência de Fradique Mendes e A Capital, obra cuja elaboração foi concluída pelo filho e publicada, postumamente, em 1925. Fradique Mendes, aventureiro fictício imaginado por Eça e Ramalho Ortigão, aparece também no Mistério da Estrada de Sintra. Os seus trabalhos foram traduzidos em aproximadamente vinte línguas.

Cesária Évora - Uma Grande Senhora

Clica para ver :

Como celebrámos o Natal na Biblioteca

A Biblioteca foi decorada com adornos de Natal e, no corredor, colou-se um papel de cenário onde os alunos foram dispondo desenhos com mensagens de Natal.

Uma outra atividade desenvolvida foi a maratona de contos de Natal feita pelos alunos do 6ºe 7ºanos.Na Biblioteca e estes leram e partilharam com os colegas alguns contos de Natal, gentilmente preparados pelas Docentes de Língua Portuguesa ,Isabel Sampaio e Glória Poças.
Em parceria com os Docentes de Educação Especial, foi exposta uma árvore de Natal com material reciclado. A mesma foi enfeitada pelos alunos do 1ºCiclo com materiais feitos nas aulas de Enriquecimento Curricular.

Como vem acontecendo na Quadra Natalícia, a Biblioteca comemorou esta festividade com várias atividades.

domingo, 11 de dezembro de 2011

O Presépio


O primeiro presépio foi feito na Igreja de Santa Maria em Roma.
Rapidamente este costume foi alargado o outras igrejas.
Foi S. Francisco de Assis(1181-1226), porém, o primeiro a representá-lo como a Bíblia descreve a natividade. Uma gruta, a manjedoura, animais e figuras esculpidas.
Esta representação ganhou raízes e tornou-se popular em todo o mundo cristão.

A Missa do galo
A Missa do Galo, também conhecida por Missa da Meia Noite, celebra-se devido ao facto de a tradição dizer que Jesus nasceu à meia-noite. Para os católicos Romanos, este costume de assistir a esta Missa começou no ano 400.
Nos países latinos, esta missa é chamada Missa do Galo, porque, segundo a lenda, a única vez que um galo cantou à meia noite foi na noite em que Jesus nasceu.
Outra lenda muito antiga diz que, antes de baterem as doze badaladas da meia-noite do dia 24 de Dezembro, cada lavrador da província espanhola de Toledo matava um galo em memória daquele que cantou três vezes quando Pedro negou Jesus, por altura sa Sua morte. Depois a ave era levada para a igreja, a fim de ser oferecida aos pobres que, assim, podiam ver melhorado o seu almoço de Natal.
Em algumas aldeias portuguesas e espanholas, era costume levar o galo para a igreja, para que ele cantasse durante a missa. Quando este cantava todos ficavam felizes, pois isso representava o prenúncio de boas colheitas. Se o galo não cantasse era considerado um mau sinal. Mas este costume é muito recente, quando comparado com a Missa do Galo.

Tradições de Natal



Para os crentes a véspera de Natal é a parte mais emocionante da época natalícia, porque anuncia o momento em que podemos começar a celebrar o nascimento de Jesus. É uma antiga tradição dizer que Jesus nasceu no dia 25de Dezembro , exactamente à meia-noite.
Quando os cristãos ouvem os sinos tocar à meia-noite, surge de novo o sentimento de que Cristo está a entrar no mundo e de que o demónio o está a abandonar. É um momento emocional muito importante para aqueles que têm uma fé pessoal forte.
Existe um mito de que, no exacto momento do nascimento de Jesus todos os animais conseguiram de súbito falar e comportar-se como pessoas. Nos campos, viraram-se para Leste e ajoelharam-se a rezar.
Existe também a lenda de que à meia-noite da véspera de Natal todas as abelhas que estavam a hibernar acordariam nos seus cortiços e começariam a zumbir em uníssono o Salmo 100. Ao mesmo tempo as portas do Paraíso abrir-se-iam e, durante alguns instantes, deixariam passar fosse quem fosse (abençoados e pecadores) para entrar directamente no Céu.
A influência de Jesus era tão forte que, quando os sinos tocassem à meia-noite os espíritos malignos seriam incapazes de fazer mal.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Happy Christmas, war is over - John Lennon

1 de dezembro - Restauração da Independência




A equipa da BE, em parceria com a docente de História do 3º Ciclo, Ascensão Saraiva, organizou uma exposição alusiva a esta efeméride.
Foram expostos trabalhos elaborados pelos discentes do ciclo acima referenciado.
A equipa da BE

Oficina de escrita criativa



Esta semana, a equipa da Biblioteca e os docentes da Educação Especial iniciaram a Oficina de Escrita Criativa na Biblioteca Escolar.
Cinco alunos do 6ºG marcaram presença. Após uma introdução inicial e apresentado o tema , estes alunos começaram a criar poemas, a criar os seus acrósticos sobre o Natal.
Foi muito bom terem vindo... voltem sempre!
Esperamos, com a mesma expetativa, mais alunos para brincarem com as palavras e fazerem poemas ou textos criativos. Vai valer a pena.....juntem-se a nós.

Prémio Nobel da Paz 2011


Prémio Nobel da Paz 2011 foi dividido entre três mulheres do oriente médio, hoje dia 10/12/2011, às 15h05min.
Três mulheres que combatem a injustiça, a ditadura e a violência sexual na Libéria e no Iêmen ganharam o prémio Nobel da Paz 2011, neste sábado. A cerimónia aconteceu na capital da Noruega. A presidente liberiana Ellen Johnson Sirleaf, sua compatriota Leymah Gbowee e a iemenita Tawakkul Karman receberam os seus diplomas e medalhas com muitos aplausos na cidade de Oslo. Segundo o presidente do comitê Thorbjoern Jagland, as três mulheres representam a luta pelos "direitos humanos em geral e das mulheres pela igualdade e paz, em particular".

Desde 2004, nenhuma mulher ou sub-saariana africano tinha ganho o prémio. Na ocasião, o comité de honra Wangari Maathai, do Quénia, mobilizou mulheres pobres para combater o desmatamento com plantio de árvores.

Sirleaf foi eleita presidente da Libéria em 2005, depois de ter sido a primeira mulher democraticamente designada à chefia de um país africano, e ganhou a reeleição em outubro.

Aos 39 anos, Gbowee participa de uma longa campanha pelos direitos das mulheres e contra o estupro, desafiando os senhores da guerra da Libéria. Em 2003, ela levou centenas de manifestantes do sexo feminino a fazerem uma "greve de sexo" para exigir o desarmamento rápido de lutadores, que continuam reprimindo as mulheres, apesar de um acordo de paz que deveria ter terminado há 14 anos.

A jornalista Tawakkul Karman, membro do partido islâmico Islah, é a primeira mulher árabe a ganhar o Prémio Nobel da Paz. Ela também lidera o grupo de direitos humanos das mulheres Jornalistas sem Correntes. Ao escolher Karman, o comitê do prémio também reconheceu o movimento Primavera árabe defendida por ativistas muitas vezes anónimos da Tunísia para a Síria.

O prémio Nobel consiste numa medalha de ouro, acompanhada por um diploma e um cheque de 10 milhões de coroas suecas, que corresponde a um milhão de euros. Esse valor será dividido entre elas. Os prémios Nobel de Literatura, Química, Física, Medicina e Ciências Económicas também foram entregues neste sábado, em Estocolmo.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011


Ao menino Jesus


Recebi cinco brinquedos
Mais um casaco comprido.
Pobre menino Jesus,
Faz anos e está despido.

Comi bacalhau e bolos,
Peru, pinhões e pudim.
Só ele não comeu nada
Do que me deram a mim.

Os reis de longe trazem
Tesouros,incenso e mirra.
Se me dessem tais presentes,
Eu cá fazia uma birra.

Às escondidas de todos
Vou pegar-lhe pela mão
E sentá-lo no meu colo
Para ver televisão.

Luísa Ducla Soares

O Gato das Botas

Funny Christmas Vídeo

sábado, 3 de dezembro de 2011

Biblioteca de Livros Digitais

Livros digitais

FEIRA do LIVRO na EB2,3 de Vila Nova de Tazem

Como tem vindo a acontecer na EB 2,3 de Vila Nova, decorreu entre os dias 21 e 25 de novembro, a feira do Livro, vocacionada para toda a comunidade escolar.
Com esta iniciativa, realizada em parceria com o grupo disciplinar de Línguas, a equipa da Biblioteca pretendeu promover o contato dos nossos alunos com os livros e, assim, estimular o gosto pela leitura.
Em simultâneo, e no último dia da feira, realizou-se uma outra actividade dinamizada pela contadora de estórias Milú Loureiro. Tendo como público-alvo os alunos do Pré-escolar e 1ºciclo, a equipa pretendeu dar a conhecer a autora do conto “O esquilo que gostava de livros”.
A feira teve a visita de muitos alunos dos três ciclos de ensino e contou com a presença de alunos do Pré escolar de outras instituições , tais como a Casa do Povo e a Sagrada Família de Lagarinhos que, prontamente , aceitaram o convite da equipa da BE.
O balanço pode ser considerado positivo, atendendo ao número de visitantes e ao número de livros vendidos.

A revolta dos livrinhos

História Viajante II Ler mais publicações no Calaméo "> História Viajante II     Projeto de Cooperação, iniciado no ano le...