quarta-feira, 24 de abril de 2013

25 de abril


Revolução
Como casa limpa
Como chão varrido
Como porta aberta
 
Como puro início
Como tempo novo
Sem mancha nem vício
 
Como a voz do mar
Interior de um povo
Como página em branco
Onde o poema emerge

Como arquitetura
Do homem que ergue
Sua habitação

Sem comentários:

Enviar um comentário