sexta-feira, 13 de novembro de 2015

O Beijo da Palavrinha de Mia Couto

  

 Era uma vez uma menina que se chamava Maria Poeirinha e que nunca tinha visto o MAR.  Ela e a sua família eram pobres, viviam numa aldeia tão interior que acreditavam que o rio que ali passava não tinha nem fim nem foz.
   Certo dia, a Maria Poeirinha adoeceu gravemente. Como ela nunca tinha visto o mar, o tio Jaime Litorâneo, homem que um dia foi morar naquela aldeia, pensava que enviá-la num barco pelo rio até ao mar, seria a cura da Maria Poeirinha, mas não resultou porque ela estava tão fraca que a viagem se tornou impossível.  
   O irmão Zeca Zonzo, que era um rapaz sempre com a cabeça no ar, teve uma ideia e foi buscar um papel e uma caneta. Ele começou a escrever um “m”, depois um “a” e no fim um “r” e a sua irmã passou o dedo por cima das letras da palavra MAR.
   Uma gaivota ergueu-se do leito da menina, ela foi beijada pelo mar e afogou-se na palavrinha. Toda a família ficou muito triste por causa da Maria Poeirinha ter falecido.






Sem comentários:

Enviar um comentário